Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, SEMINÁRIO DO ICHS – Humanidades em Contexto: desafios contemporâneos (2017)

Tamanho da fonte: 
A violência contra a mulher e a rede de atendimento em Cuiabá/MT
Ivna de Oliveira NUNES, Qelli Viviane Dias ROCHA

Última alteração: 16-05-18

Resumo


A violência contra a mulher é um fenômeno que atinge as mulheres pela sua condição de gênero e não pode ser analisada sem o entendimento da realidade social na totalidade. Desta forma, este artigo tem o fito de trazer reflexões acerca violência perpetrada sobre as mulheres, mais especificamente no estado de Mato Grosso, bem como tecer uma análise sobre o funcionamento da rede de atendimento para as mulheres vitimadas em Cuiabá- MT. Compreende-se que esta é uma das estratégias para prevenir, reduzir e/ou sanar as violações de direitos referentes ao sexo feminino. Contudo, o que a pesquisa nos apresenta é que o atendimento em rede no estado não funciona de forma efetiva, dificultando o acesso as políticas públicas no que refere a desigualdade de gênero e a violência.

 


Palavras-chave


Gênero; Violência contra Mulher; Rede de Atendimento

Referências


ARAÚJO, Liana Brito de C. A questão do método em Marx e Lukács: o desafio da reprodução ideal de um processo real.  In: MENEZES, Ana Maria Dorta de; FIQUEREIDO, Fábio Fonseca (orgs.). Trabalho, sociabilidade e educação: uma crítica à ordem do capital. Fortaleza: Editora UFC, 2003.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo.  1.ed. Lisboa: LDA, 1977.

BASTOS, Rafael Coelho.  Lei Maria da Penha - implicações políticas, jurídicas e sociais.  Dialogo Jurídico, 2009, n. 8,  p. 257-275.

BRASIL. Lei 11.340/2006. Disponível em: <http:// http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm>. Acesso em: 15dez. 2011a.

______. Presidência da República. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. I Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. 2ª Reimpressão. Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2008.

______. Presidência da República. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2011b.

____ Presidência da República. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2011c.

______.Presidência da República. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Política Nacional de Enfrentamento a Violência contra a Mulher. Brasília: Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2011d.

COSTA, Renata Gomes da. Prisão e ressignificação da violência: a punição e o enfrentamento à violência contra mulher. Monografia (Graduação em Serviço Social) –Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2011.

FURTADO, Luísa Escher. Passos e espaços: violência conjugal e ingestão de bebida alcoólica. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

HIRIGOYEN, Marie-France. A violência no casal: da coação psicológica à agressão física. Rio de Janeiro: Bertrand, 2006.

IAMAMOTO, Maria Villela. Capital fetiche, questão social e serviço social. In: Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez, 2007.

IPEA. Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil. 2013. Disponível em < http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/130925_sum_estudo_feminicidio_leilagarcia.pdf> Acesso em 10 de nov. 2014.

KATO, Shelma Lombardi de.  Lei Maria da Penha: uma lei constitucional para enfrentar a violência doméstica e construir a difícil igualdade de gênero.  Revista brasileira de ciências criminais.  Ano 2008, v. 16, n. 71 , mês mar/abr.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MARTINELLI, Maria Lúcia. Pesquisa Qualitativa: um instigante desafio. São Paulo: Veras, 1999.

MICHEL, Maria Helena. Metodologia e Pesquisa Científica em Ciências Sociais: um guia prático para o acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. São Paulo: Atlas, 2005.

MINAYO, Maria Cecília. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

OSTERNE, Maria do Socorro Ferreira. Violência nas relações de gênero e cidadania feminina. Fortaleza: EdUECE, 2008.

ROCHA. Qelli e SANT'ANA. Raquel. Politicas Publicas para Mulheres Vitimas de Violência Domestica: Concessão ou Conquista? Rev. Serviço Social e Realidade. vol. 18. n,2.  2009. Franca/SP

SAFFIOTI, Heleieth I. B. Gênero, Patriarcado, Violência. São Paulo. Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

_______. Já se mete a colher em briga de marido e mulher. São Paulo: São Paulo em Perspectiva, 1999.

_______. O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.

SANTOS, Antônio Raimundo. Metodologia Científica: a construção do conhecimento. 7 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

TELES, Maria Amélia de Almeida; MELO, Mônica de. O que é Violência contra a Mulher. São Paulo: Brasiliense, 2002.


Texto completo: PDF